sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Casas de Madeira de Curitiba 7




Fotografei essa casa de madeira (com fantásticos lambrequins) na Rua Saldanha Marinho, quase esquina com a Ângelo Sampaio. A indicação foi de Marco Novack, leitor desse blog, à quem agradeço e concordo que a casa é realmente muito bonita.
Interessante constatar que por 3 anos seguidos da minha vida, enquanto estudei no Positivo, passei pelo cruzamento da Saldanha com a Ângelo e não me lembro dessa casa, que obviamente está no mesmo lugar há muito mais tempo do que o colégio. Mais uma vez percebo que olhar e ver são coisas completamente diferentes. Aqui, empresto o trecho de um texto que encontrei no blog http://www.overmundo.com.br/, num post que trata, em parte, da Diferença entre Olhar e Ver. Diz o autor do blog, Juliano Moreno que é escritor, produtor cultural, mestre em História pela UFMT e professor universitário:

O escritor português José Saramago, abre seu romance "Ensaio sobre a cegueira" com uma frase: "Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara." No cotidiano usamos a palavra ver e olhar como sinônimos às vezes, mas de fato há uma diferença. O verbo olhar designa o ato de fixar os olhos em alguma coisa ou situação, quando olhamos agimos mecanicamente sem objetivo de desvendar a realidade mirada, apenas orientamos nossos olhos para imagem. Quando utilizamos o verbo ver, em sentido próprio, queremos expressar além do ato de fitarmos uma miragem, mas de estabelecer uma relação de conhecimento por meio do sentido da visão. Por isso não há como não reparar quando objetivo é ver, enxergar.

Portanto meus caros, para melhor apreciar Curitiba (e a vida de modo geral), mais do que olhar, vejam.

Um comentário:

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.