quinta-feira, 12 de julho de 2012

Grupo Escolar Lysimaco Ferreira da Costa




Em Curitiba na década de 1940, os bondes foram substituídos pelas lotações, o que facilitou a circulação entre os bairros. O Água verde situava-se na fronteira entre o meio urbano e o rural, próximo ao bairro Batel.
Uma grande área, que seria futuramente ocupado pelo Grupo Escolar Lysimaco Ferreira da Costa, tendo como limites ruas importantes do bairro foi comprada, o que proporcionaria uma visualização completa do edifício. O interventor Manoel Ribas assinou o decreto para desapropriação e compra do terreno em 30/12/1942.
A construção foi realizada pela firma Caron & Vellozo e o seu projeto pode ser considerado como o melhor exemplo da influencia da arquitetura necolonial. Mesmo não sendo um edifício de grande porte, destaca-se até hoje na paisagem urbana da região por estar num local alto do terreno. A obra foi iniciada em setembro de 1943 e concluída em setembro de 1946.
A escola teve outras denominações no passado. Em 1936 chamava-se Escola Isolada da Água Verde, funcionando numa pequena casa de madeira na rua Carneiro Lobo. Em 1937, passou a chamar-se Casa Escolar Água Verde, mudando-se para a República Argentina. Em 1939, recebeu no nome de Escola Reunidas da Água Verde e em 1940, Grupo Escolar da Água Verde.
Em 29/01/1946 o interventor Clotário Portugal assinou o decreto que mudava o nome de Grupo Escolar Água Verde para o atual Grupo Escolar Lysimaco Ferreira da Costa.
Quanto ao estilo construtivo, o Lysimaco incorporou estilos da arquitetura barroca, combinação de referências coloniais brasileiras e elementos da arquitetura religiosa.
A linguagem neocolonial aparece nos frontões curvos e nas colunas com arcos rebaixados. Outra característica importante da influência neocolonial é a construção de uma torre, um dos elementos fortes da construção do século XIX, sobretudo na arquitetura religiosa.
O uso de uma pedra bruta escura disposta de forma irregular na parte inferior de todo o prédio, dá ao edifício um aspecto sólido e pesado, contrastando com a leveza da cor clara do restante do prédio.
Em 1961 iniciou-se a reforma e a construção de um novo prédio, um pouco menor, ao fundo. Foi seguido o mesmo estilo original.
Lysimaco Ferreira da Costa (1883-1946) foi um importante educador do Paraná. No início do século XX começou a participar intensamente na área de educação e, em 1920, dirigiu o Ginásio Paranaense e a Escola Normal de Curitiba, tornando-se depois disso, Inspetor Geral da Instrução Pública. Foi também Secretário da Educação.

Todas as informações acima foram obtidas  a partir da “Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de Mestre em História e Historiografia da Educação, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação, Setor de Educação, Universidade Federal do Paraná”. O título da dissertação é “HISTÓRIA & ARQUITETURA ESCOLAR: OS PRÉDIOS ESCOLARES PÚBLICOS DE CURITIBA (1943-1953)”, de autoria de ANA PAULA PUPO CORREIA, apresentada no ano de 2004.

É sem sombra de dúvidas, o melhor material que encontrei sobre várias escolas importantes de Curitiba. 

8 comentários:

  1. A arquitetura escolar é uma das minhas paixões de leitora, Takeuchi. Conheço a obra em destaque e, desde agora, agradeço bem feliz as fotos recentes do belo prédio do "Grupo Escolar Lysimaco Fereira da Costa". Naquela caminhada observacional pelo Água Verde era uma das minhas intenções fazer umas fotos( mesmo com o meu celular); agora, o prezado amigo trouxe imagens caprichadas e bem acompanhadas de histórico. Aceite o meu Obrigada sincero.

    ResponderExcluir
  2. Que bom que tenha gostado professora. A escola eh imponente e realmente destaca-se na região.
    Abraco.

    ResponderExcluir
  3. Hola. Como estoy mirando todas las entradas del blog, cada día unas cuantas, he llegado hoy a mi colégio. ¡Qué alegria! Ya te hablé de el otra vez, pero no conocía su historia. En mi época eramos sólo niñas. Recuerdo el acto de subir la bandera nacional en el patio, un hecho bonito, que donde vivo ahora no se entiende tan bien. Cosas de una guerra civil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha encontrado aqui informações sobre o seu colégio Helena e que tenha lhe trazido boas recordações.
      Você disse que onde vive agora está em guerra civil? Em qual país está vivendo?
      Obrigado pelo comentário.

      Excluir
    2. No,no. Perdón, me he expresado mal. Estoy en España y hubo una guerra de la cual todavía quedan heridas.En el año 36. Por ese motivo, cantar el himno, honrar la bandera y cosas así, se ven como de ultraderechista. Por haber sido la derecha la vencedora.Los niños no hacen cosas así en el colégio, salvo muy raras ocasiones.La bandera nacional está cargada de significado político. Algo que, puede que me equivoque, pero no recuerdo haber sentido nunca en Brasil.
      Afortunadamente, cada vez más,los jóvenes de hoy disfrutan con las victorias de la selección de futbol, y con tal motivo, lucen banderas de España sin complejos.
      Siento la confusión.

      Excluir
    3. Oi Helena. Entendi agora e sem dúvida é bastante interessante o seu comentário. Obrigado por compartilhar um pouco da história da Espanha.
      Grande abraço.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.